segunda-feira, 7 de março de 2011

José, Um Exemplo de Vida

Gn 37. 19 – 28; 41. 37 – 40; 46. 29
    José é um dos personagens bíblicos mais conhecidos, um dos 12 filhos de Jacó e o preferido de seu pai. Tinha a predileção de seu pai por ser filho de Raquel e pelo comportamento íntegro, que o diferenciava dos outros irmãos. Os irmãos de José, por se verem preteridos e por terem ouvido os sonhos de José, assim que tiveram uma oportunidade, livraram-se dele, vendendo-o como escravo. Aí começa a sina da vida de José. Este jovem perdeu tudo o que tinha, porém sua restituição foi maravilhosa.
 
As perdas de José.
a) Quando José foi vendido por seus irmãos, perdeu seu pai, sua família, sua casa, sua terra, uma posição privilegiada, um nome familiar respeitado etc.
b) Ele foi vendido a Potifar para ser escravo, porém se destaca como tal que  se torna mordomo da casa do capitão da guarda do Faraó (Gn 37. 36). Após conquistar essa posição de confiança, ele a perde por não ceder às propostas imorais da esposa de seu patrão. Novas perdas.
c) A causa maior das perdas de José foi a sua postura íntegra. Paulo disse que, quem quisesse viver piedosamente, iria sofrer perseguições (II Tm 3. 12). Jesus nos disse que, quando fôssemos perseguidos por causa da justiça, deveríamos exultar, pois o nosso galardão seria grande (Mt 5. 10 – 12).  A nossa vida não é constituída só de conquistas, pois as perdas também ocorrem. Não temos que nos conformar com elas, mas precisamos entender que elas acontecem e buscar restituições em Deus.

Saber lidar com as perdas.
a) José soube lidar com as perdas. Ele não se revoltou com Deus e com o mundo virando um alcoólatra. Não exigiu que o seu novo meio o tratasse como ele era tratado por seu pai. José, com humildade,  adaptou-se às novas realidades começando de novo, tanto na casa de Potifar como na prisão. Paulo disse que aprendeu a adaptar-se a qualquer circunstância (Fp 4.11 – 13).
b) Por exemplo: Muitos, quando experimentam perdas financeiras, não aceitam baixar seu padrão de vida e revoltam-se contra Deus, pessoas e instituições. Logo deixam uma situação difícil ainda pior.
c) Quem não sabe lidar com as perdas, nunca terá restituição. Pedro nos diz que devemos nos humilhar debaixo da poderosa para que Ele nos exalte no tempo devido (I Pd 5. 6). Quando ocorrem perdas, é preciso humildade, paciência e disposição para recomeçar a partir do que se tem. Se há uma situação difícil, não vamos deixá-la pior, mas, com a ajuda de Deus, vamos vivenciá-la e superá-la.

A restituição de José.
a) A seu tempo, José se tornou o governador do Egito. Potifar, que o mandara para a prisão, ficou abaixo dele. Seus irmãos, que o haviam vendido, inclinaram-se diante dele. Contudo, José não deixou que o ódio e o sentimento de vingança se apossassem dele, ele os perdoou e usou sua restituição para abençoar, inclusive aqueles que o traíram.
b) O tempo, a maneira e o que restituir pertencem a Deus. Enquanto homens, devemos nos posicionar dentro dos princípios de Deus, ser fiéis a Ele e n’Ele esperar.
c) Ao termos restituição, recebamo-la com um coração limpo, glorifiquemos a Deus e abençoemos os outros.

Conclusão
    Perdas acontecem,  saibamos lidar com elas e, em fidelidade a Deus, esperemos as restituições que só Ele pode nos proporcionar.

Nenhum comentário: