sábado, 6 de fevereiro de 2010

Feridos em nome de Deus

Figura bíblica de proteção e direcionamento, o pastor virou para muitos evangélicos um intermediário entre Deus e os homens
Ascender profissionalmente é o objetivo de qualquer trabalhador, em qualquer área de atuação. A busca por melhores salários e cargos é inerente ao profissional que almeja reconhecimento em sua carreira. Ao longo desta trilha pelo sucesso, há que se fazer uma ressalva: o poder adquirido com a conquista de altos cargos é um fator com o qual muitas pessoas não sabem lidar. Esta falta de tato resulta numa forma de humilhação muito freqüente no ambiente de trabalho, o assédio moral, abuso de poder da autoridade para com seus subordinados.
O mesmo tem ocorrido nas igrejas evangélicas, por parte de pastores e líderes. A confiança autêntica e sincera em Deus é gradualmente substituída pela submissão aos mandos e desmandos de lideranças despreparadas, que, usando de artifícios, conquistam a atenção e a confiança das pessoas. Carentes de acolhimento, os fiéis são capturados pela manipulação emocional, e seguem de braços dados com líderes medíocres, experimentando uma religiosidade fútil, pobre no entendimento e na vivência da Palavra e que barganha a todo momento com Deus.
Ao ver tantas vidas abaladas justamente num lugar que deveria ser sinônimo de amparo e solidariedade - a Igreja de Jesus Cristo ? e amparada em sua própria experiência, a jornalista Marília Camargo César sentiu-se impelida a escrever Feridos em nome de Deus. O livro narra histórias de cristãos que estão muito machucados emocionalmente e tiveram a sua fé lançada por terra em razão do convívio com líderes abusivos, que passaram dos limites em seu relacionamento com seus liderados. São histórias reais, com as quais o leitor poderá se identificar.
"Escrevi o livro, em primeiro lugar, para mim mesma, porque eu precisava de respostas. Eu não conseguia entender por que amigos que antes eram tão próximos de seus pastores, de uma hora para outra passaram a detestá-los e a falar mal deles. O livro também foi escrito para esses irmãos feridos, como uma espécie de registro de suas experiências, e para líderes religiosos, que podem se ver retratados nas histórias".
Acabei de ler o referido livro, o mesmo me levou a uma profunda reflexão e revisão do meu trabalho pastoral. Leitura sugestiva.
Autor: Marília Camargo César
Fonte: Mundo Cristão
Postado por José Vilande